PSICOLOGIA DA SAÚDE


DOCENTE

OBJECTIVOS PRINCIPAIS

RUBRICAS PROGRAMÁTICAS

MÉTODOS DE ENSINO / RECURSOS

ESTRATÉGIAS DE AVALIAÇÃO

BIBLIOGRAFIA FUNDAMENTAL


DOCENTE

Prof. Doutor José António Zagalo-Cardoso

jazagalloct@interacesso.pt

OBJECTIVOS PRINCIPAIS

NO PLANO DA AQUISIÇÃO DE COMPETÊNCIAS TEÓRICAS

- Tomar consciência do debate actual, em torno dos conceitos de saúde e de doença, e dos contextos histórico-científicos, sócio-culturais e político-ideológicos que lhe são subjacentes.

- Situar, criticamente, a emergência, a origem, o contexto, e as características da psicologia da saúde, delimitando o seu alcance e possibilidades, e aprofundar, consequentemente, o conceito holístico de saúde.

- Valorizar, fundamentadamente, as dimensões psicossociais das saúde, doença, cura e práticas médicas, na sociedade ocidental contemporânea.

- Conhecer os aspectos psicossociais básicos relativos à preservação e à promoção da saúde, a "prevenção" e à superação da doença, à compreensão e à adesão ao tratamento, à reabilitação (física, mental, social, profissional etc.).

- Discutir as alternativas para a melhoria do Sistema de Cuidados de Saúde e debater fundamentos das políticas de saúde.

NO PLANO DA AQUISIÇÃO DE COMPETÊNCIAS PRÁTICAS

- Enquadrar os papéis dos psicólogos, nos Serviços de Saúde Geral.

- Formar, coerentemente, uma atitude favorável à integração das multidisciplinas actuantes, e no Sistema de Saúde.

- Apreender as características profissionais necessárias à prática da psicologia de ligação.

- Desenvolver, especificamente, capacidades adequadas à intervenção, formação e investigação, em contextos de Saúde.

- Promover atitudes facilitadoras da integração em equipes multidisciplinares de Saúde.

- Avaliar, criticamente, a informação disponível em Psicologia da Saúde com base em critérios de qualidade da investigação.

RUBRICAS PROGRAMÁTICAS

AULAS TEÓRICAS/TEÓRICO-PRÁTICAS

UNIDADE DIDÁCTICA I – INTRODUÇÃO Á PSICOLOGIA DA SAÚDE

1. Conceito e âmbito da psicologia da saúde.

    1. O que é a psicologia da saúde? Psicologia da Saúde: condições da sua emergência e de definição (objecto e objectivos: o quê e para quê). Projecto holístico: o humano. Crítica ao modelo biomédico. Os equívocos da influência da psicologia clínica: sobrevivência subtil e generalização dissimulada do modelo médico? A Psicologia da Saúde enquanto Psicologia Social aplicada. Psicologia da Saúde e psicologia de ligação. Psicologia da Saúde: uma ruptura com o modelo médico? Uma nova disciplina aberta. Psicologia da Saúde e o perigo da "ditadura da saúde".
    2. Estatísticas demográficas vitais (idade máxima de vida, longevidade, esperança de vida, morbilidade e mortalidade) e suas evoluções históricas e variações geosociais. O aumento moderno da esperança de vida. Epidemiologia médica. Causas de morbidade e mortalidade ao longo dos tempos e em diversos lugares.
    3. Ciências afins (História da Saúde, Antropologia da Saúde, Sociologia da Saúde, Educação para a Saúde, Economia da Saúde) e disciplinas da saúde de interface (saúde mental, saúde comportamental, medicina comportamental e psicologia médica).
    4. O que vem a ser a Saúde? Em torno do conceito de Saúde: perspectivas histórica e transcultural. A definição de saúde da Organização Mundial de Saúde: análise crítica. Aspectos fundamentais da saúde: a saúde como valor positivo e como valor negativo. Concepção crítica e indissociável da saúde e da doença. Níveis de saúde: saúde individual e saúde colectiva. Dimensão da saúde: saúde geral e saúde mental. Saúde pública e comunitária: suas contribuições para a promoção da saúde e o entendimento de doença. Conceitos de "deficiências", "incapacidade" e "invalidez". Saúde e desenvolvimento comunitário.

UNIDADE DIDÁCTICA II – METODOLOGIAS EM PSICOLOGIA DA SAÚDE

1. Desafios metodológicos e epistemológicos: pluri-inter-trans-disciplinariedade: o humano.

2. Estudos transversais e estudos longitudinais.

3. Metodologias quantitativas e qualitativas.

4. Métodos, procedimentos e instrumentos de avaliação.

5. Avaliação e desenvolvimento continuado de programas de saúde.

UNIDADE DIDÁCTICA III – PSICOLOGIA DA SAÚDE SISTEMÁTICA

1. Conceitos sistemáticos básicos: apresentação sumária. Comportamento de saúde (comportamentos relacionados com a saúde ou orientados para a saúde), comportamentos de doença, comportamentos de doente. Comportamentos preventivos (factores de protecção comportamentais) e comportamentos de risco (factores de risco comportamentais). Padrões comportamentais benéficos e prejudiciais à saúde. Qualidade de vida. Estilos de vida.

2. Modelos sistemáticos de interpretação: breve análise crítica. Modelos do senso-comum. Modelo biomédico. Modelo biopsicossocial. Modelo de crenças na saúde. Teoria motivacional de protecção. Teoria da acção racional. Teoria do comportamento planeado. Modelo de tratamento espontâneo. Teoria da utilidade subjectiva esperada. Hipótese de Levy. Locus de controle de saúde. O Modelo ecológico de saúde e da doença. O plano da ecologia mental.

3. Aspectos sistemáticos diferenciais. Papéis de género e género. Envelhecimento e idosos. Deficiência e pessoas em desvantagem. Minoria étnicas e culturais.

UNIDADE DIDÁCTICA IV – PSICOLOGIA DA SAÚDE TEMÁTICA

1. Psicologia da Saúde temática geral.

    1. Dimensões psicossociais da saúde. A construção social dos comportamentos orientados para a saúde. Influência das variáveis psicossociais nos comportamentos de saúde e de doença. As representações sociais de saúde e de doença. O impacto do comportamento na saúde. Crenças, atitudes, estilos de vida e saúde.
    2. Dimensões psicossociais da doença. Identificação e interpretação dos sintomas. Os significados e as significações psicológicas da doença: biológico, psicológico, social e cultural. Teorizações da doença. Teoria dos papéis sociais e teoria da rotulagem social. O impacto social das doenças: da estigmatização à discriminação social. O estatuto social de doente e o estatuto sócio-político de "doente mental". Modelo do comportamento de doença. Componentes do comportamento de doença. Experiência subjectiva de doença. Contexto etno-cultural da experiência de estar doente. A doença enquanto acontecimento vital ou acontecimento marcante da vida.
    3. Teoria das crises(Lindemann e Caplan): conceitos, tipos, características, a doença enquanto crise. Modos de lidar com as crises. Teoria da sobrecarga (Seley). Teoria da superação (Lipowski, Lazarus e Bandura). Integração das teorias das crises, da sobrecarga e da superação: importância dessa integração em contextos de saúde/doença, no desenvolvimetno social e na inserção comunitária.
    4. Factores de protecção. Factores moderadores das situações de sobrecarga e do impacto destas, no desenvolvimento pessoal. Factores de invulnerabilidade à sobrecarga. As características da "criança sobrevivente". Factores de protecção à sobrecarga. O efeito pontenciador da interacção de sobrecargas múltiplas.
    5. A procura de cuidados médicos. A relação médico-paciente: modelos de interacção. A comunicação e a compreensão em saúde. O cumprimento/incuprimento das prescrições médicas. A adesão ao tratamento e causas da falta de adesão. A ansiedade relativa a procedimentos médicos (de diagnóstico, tratamento, etc.). satisfação/insatisfação dos pacientes/utentes com cuidados de saúde e dos profissionais com a sua actividade. A exaustão em profissionais de saúde. Preferências dos pacientes/utentes e da comunidade, no domínio da saúde. Saúde e recursos comunitários (redes sociais de apoio). Classes sociais e saúde. Arquitectura, urbanismo e saúde.
    6. O Modelo de Dohrenwend , no quadro conceptual do ponto de vista ecológico: a) processo gerador de «psico(pato)logia» por sobrecargas psicossociais; b) meios de superação do processo e mediadores situacionais e psicológicos.
    7. Da prevenção da doença à promoção da saúde. Programas de prevenção primária (Caplan): programas de acção social e programas de acção interpessoal. A mudança social em saúde. Conceito e aplicações da engenharia psicossocial em saúde. Características dos serviços e estruturas alternativas de saúde. Melhoria dos sistemas de cuidados de saúde e das políticas de saúde.
    8. Ética. Ética e deontologia em psicologia da saúde. Saúde, ética, cidadania e política. Direito biomédico.

2. Psicologia da Saúde temática especial.

2.1. O paciente e os serviços de saúde. Utilização dos serviços de saúde. O internamento hospitalar. As intervenções cirúrgicas. A criança hospitalizada.

2.2. Problemas por comportamento adictício. Problemas ligados ao álcool. Problemas ligados à alimentação - controle alimentar, peso excessivo, obesidade): da dificuldade de definir à necessidade de os prevenir.

2.3. Doenças frequentes (cefaléias, doença coronária cardíaca, hipertensão arterial essencial, acidente vascular cerebral, doença neoplásica, síndrome da imunodeficiência adquirida).

2.4. Situações patológicas específicas (doença crónica incapacitante, doença crónica persistente, doença terminal).

2.5. Doenças genéticas e hereditárias mais frequentes (doenças de início precoce: diabetes mellitas - insulino-dependente, mucoviscidose, talassémias, fenilcetonúria, distrofia muscular Duschene, hemofilia; doenças de início tardio: doença de Alzheimer, doença de Huntington; doenças portuguesas: paramiloidose e doença de Machado-Joseph) e genética psicossocial em novo campo da Psicologia da Saúde.

2.6. Os psicólogos nos serviços de saúde geral e a prática da psicologia de ligação. Áreas predominantes de intervenção saúde pública e medicina curativa. Áreas recentes de intervenção: Genética comunitária e medicina preditiva. Objectivos de intervenção: preservação e promoção de saúde; prevenção e superação de doença; reabilitação mental e social, melhoria do sistema de saúde e das políticas de saúde. Avaliação, formação, intervenção e investigação em Psicologia da saúde. Programas de Educação para Saúde. Aconselhamento psicológico.

AULAS PRÁTICAS/TRABALHOS DE CAMPO

O objectivo principal destas aulas é estimular reflexões aprofundadas e críticas a partir dos conceitos e conteúdos teóricos abordados em Psicologia da Saúde Temática, Unidade Didáctica IV, secção 2.

MÉTODOS DE ENSINO/TÉCNICAS DE FORMAÇÃO/RECURSOS DIDÁCTICOS PREDOMINANTES

Expositivo e interactivo; trabalhos individuais e de grupo; meios audiovisuais.

ESTRATÉGIAS DE AVALIAÇÃO

A avaliação contempla quer os conhecimentos (o saber) quer a aplicação dos mesmos (o saber fazer) aos domínios da intervenção e da investigação.

Todas as prestações (periódicas e finais) têm por objecto, concomitantemente, as rubricas programáticas teóricas/teórico-práticas, e têm um componente que incide sobre a extensão dos conhecimentos e outro sobre a profundidade dos mesmos.

Nos termos das Regras Gerais de Avaliação, realizam-se provas do tipo A, podendo ser substituídas, facultativamente, por provas do tipo B.

BIBLIOGRAFIA FUNDAMENTAL

ALMEIDA, L.M., MARQUES, A.S. e ZAGALO-CARDOSO, J.A. (1988). Programa de Acção Mundial para os Deficientes. Vária, Rev. Port. Pedag., XXII, 415-441.

BENETT, P. e MURPHY, S. (2000). Psicologia e Promoção da Saúde. Climepsi-Editores, Colecção Manuais Universitários: Lisboa.

GIRALDES, M.R. (s/d). Desigualdades Sócioeconómicas e o seu Impacto na Saúde. Coleção Temas de Sociologia. Editorial Estampa: Lisboa.

HAMMOUNDS, B.L. and SCHEINER, C.J. (1984). Psychological and Health. The Master Lecture. Series, 3. American Psychology Association: Washington D.C.

KASL, S.U.D. and COOPER, C.L.(1995). Research Methods in Stress and Health Psychology. John Wiley and Sons Ltd.: Chichertes.

MATARAZZO, J.D. (1980). Behavioral health and behavioral medicine: Frontiers for a new health psychology. American Psychologist, 35, 807-817.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. (1998). Saúde um Compromisso: a Estratégia de Saúde para o Virar do Século (1998-2000). Ministério da Saúde: Lisboa.

MORSE, J.M. (1992). Qualitative Health Research. Sage Publications: Newbury Park, Califórnia.

ROMME, M., ESCHER, S., ZAGALO-CARDOSO, J. A. e CUNHA-OLIVEIRA, J.A.(1997). Na Companhia da Vozes. Para uma Análise de Experiência de Ouvir Vozes. Editorial Estampa: Lisboa.

SARAFINO, E. P. (1990). Health Psychology: Biopsychosocial Interaction. John Wiley and Sons: New York.

TAYLOR, S.E. (1995). Health Psychology. Mc Graw-Hill. Internacional Editions: Singapore.

ZAGALO-CARDOSO, J.A. (1989). O Papel do Psicólogo na Equipa Interdisciplinar de Aconselhamento Genético. Rev. Port. Pedag., XXIII, 201-217.